GOTA

 

 

Definição

Gota é uma doença metabólica, inflamatória, secundária a deposição de cristais de monorauto de sódio nas articulações, nos tecidos periarticulares e em tecidos extra-articulares. É causada pelo acúmulo de ácido úrico no sangue (hiperuricemia). Quando ocorre o aumento da concentração de ácido úrico no sangue, pode ocorrer a deposição de cristais nos tecidos, o que causa inflamação. Essa inflamação ocorre principalmente nas articulações. Os depósitos de cristais de ácido úrico podem ocorrer também nos rins, causando alterações significativas do órgão. 

É uma doença que surge repentinamente, causando no indivíduo uma dor muito intensa e profunda. Tem uma duração média de cinco dias, e desaparece logo depois. Mas, depois de alguns meses ou anos, podem ocorrer novas crises com duração mais longa e comprometendo outras articulações.

Os sintomas característicos da doença são a inflamação intensa da articulação que provoca uma forte dor que se torna mais intensa a noite, e que compromete mais as extremidades do corpo. As articulações afetadas ficam inchadas, muito dolorosas, inflamadas e podem aparecer a febre e calafrios.

 

Sinonímia

A Gota também é conhecida pelo nome de:

·         Artrite úrica.

 

Incidência

·         Incidência maior em indivíduos adultos do sexo masculino.

·         A doença é considerada uma das causas mais comum de inflamação da articulação em homens acima de 40 anos de idade.

·         Nas mulheres a incidência da doença aumenta após a menopausa.

·         A doença é considerada rara em criança e em mulheres com menos de 30 anos.

·         Cerca de 90% dos pacientes com a doença são hipoexcretores de ácido úrico, isto é, produzem normalmente o ácido úrico mas eliminam pouco.

·         Cerca de 2% da população mundial sofre com a doença.

·         Cerca de 20% das pessoas que apresentam hiperuricemia assintomática, corre risco de ter a doença.

·         Muitos pacientes que têm Gota apresentam cálculo renal formado por ácido úrico.

 

Causas

Aumento da concentração de ácido úrico do organismo devido a um problema congênito.

Produção excessiva de ácido úrico devido ao problema de uma determinada enzima (aminotransferase). A aminotransferase éum enzima importante na biossíntese de nucleotídeos púricos.

Predisposição hereditária.

 

Evolução

A evolução natural da doença é caracterizada por hiperuricemia assintomática, ataque agudo, período intercrítico e gota tofácea crônica.

 

Fatores desencadeantes

Os fatores que podem desencadear uma crise de gota são os sequintes:

·         Dieta rica em alimentos que aumentam a concentração de ácido úrico.

·         Traumas físicos ou articulares.

·         Ingestão de bebidas alcoólicas, principalmente a cerveja e o vinho tinto que são fermentados.

·         Em alguns casos específicos, o trabalho mental intenso pode ser um agravante para o aumento das dores.

·         A desidratação pode desencadear um ataque de gota.

·         Ficar acima do peso, pode contribuir para as crises de gota.

·         Cirurgias.

·         Quimioterapia.

·         Uso de diuréticos.

 

Alimentos com alto teor de purinas

Esses alimentos devem ser evitados ao máximo da dieta de pacientes com a doença.  Mesmo que a pessoa não esteja em uma crise de gota, esses alimentos podem aumentar a quantidade de ácido úrico e desencadear nova crise.

·         Bacon, embutidos e vitela.

·         Bebidas alcoólicas, principalmente cerveja e vinho.

·         Caldo de carnes, legumes e molhos industrializados.

·         Extrato de tomate.

·         Frutose como adoçante.

·         Levedo de cerveja como suplemento.

·         Miúdos: fígado, rim, coração, língua e miolo.

·         Pães doces.

·         Peixes e frutos do mar.

·         Sal em excesso.

·         Tomate.

 

Obs: A dieta do paciente com gota deve ser prescrita pelo nutricionista.

 

Localização

Os locais mais comuns  da  concentração de ácido úrico no organismo são os seguintes:

·         Articulação do pé.

·         Calcanhar.

·         Cotovelo.

·         Dedos dos pés e mãos.

·         Dorso do pé.

·         Joelho.

·         Mãos.

·         Ombros.

·         Punho.

·         Tornozelo.

 

Tofos

Os tofos são nódulos duros, que são formados por cristais de ácido úrico que impregnam o material que resulta da destruição local de tecidos. Na fase inicial os tofos têm consistência pastosa, podendo ser palpados facilmente por debaixo da pele, mas, com a evolução da doença essa consistência torna-se bastante dura.

 

Geralmente, formam-se na cartilagem do pavilhão auricular, joelhos, cotovelos e em torno das articulações comprometidas, principalmente das mãos e dos pés. Quanto mais crises o paciente tiver, maior a quantidade de ácido úrico no organismo, aumentando as articulações comprometidas, determinando uma cronicidade que contribue ainda mais para o aparecimento de mais tofos.

 

Sinais e sintomas

Quando o indivíduo procura o médico, a primeira crise de gota já ocorreu; geralmente é a noite, surgindo de maneira brusca e na grande maioria dos casos ocorre na lateral do dedão do pé (hálux), acompanhado de uma forte dor.  A primeira crise é geralmente precedida por pontadas na região afetada dura de 3 a 10 dias e depois o paciente não se queixa mais de dores. Depois de alguns meses comaça a surgir outras crises da doença mais frequentes e intensas, afetando outras articulações.  É nessa fase que o paciente procura o médico relatando os seguintes sintomas:

 

·         Sensibilidade intensa na área afetada.

·         Dor forte quando movimenta a articulação comprometida.

·         Inchaço na região.

·         Vermelhidão no local da articulação atingida.

·         Rigidez na articulação.

·         Dificuldade de encontrar uma posição confortável.

·         Sensação de cansaço.

·         Cefaléia (dor de cabeça).

·         Tensão nervosa.

·         Mal-estar geral.

·         Insônia.

·         Febre e calafrios, em alguns casos.

 

Fase crônica: Caso a doença não seja tratada corretamente desde a sua primeira manifestação, a gota pode atingir outras articulações se tornando crônica e apresentando crises constantes. A doença ainda pode causar complicações em outros órgãos, além das articulações. Com o passar dos anos podem ocorrer deformidades e defeitos irreversíveis nas articulações comprometidas.

 

Obs: Em muitos casos, quando o indivíduo faz massagem na região com a intenção de aliviar a dor, a dor aumenta ao invés de diminuir.  A crise pode ser tão forte que até o peso das cobertas pode ser insuportável por causada da dor intensa que a pessoa sente no local afetado pela gota.

Após a crise a articulação ou região se torna dormente e inchada. Depois aparece coceira e uma pequena descamação da pela na área afetada. Após alguns dias todos os sintomas desaparecem nas primeiras crises.

Geralmente, nas primeiras crises os sintomas desaparecem espontaneamente em 3 a 4 dias.

 

Diagnóstico

·         Anamnese.

·         Exame físico.

·         Exame clínico.

·         Exames laboratoriais. Hiperuricemia: o aumento da concentração de ácido úrico no sangue acima de 7,0 mg/dl em homens e maior que 6,0 mg/dl em mulheres na pré-menopausa.

·         Raio X.

 

Tratamento

Médico especialista: Reumatologista. Dependendo da evolução da doença e comprometimento de órgãos, outros especialistas podem ser necessários.

Objetivos: Eliminar as crises agudas, corrigir a hiperuricemia subjacente, evitar a destruição articular e diminuir a dor causada pelas crises.

 

Tratamento cirúrgico: pode ser necessário em algumas situações devido ao comprometimento  funcional da movimentação da articulação; deformidade articular ou devido a infecções dos tofos.

Tratamento clínico: administração de medicamentos que diminuem a taxa de ácido úrico no sangue, prescritos pelo médico.

Administração de antiinflamatórios, prescritos pelo médico.

Administração de antiinflamatórios não esteróides (AINEs).

Corticoterapia: Corticóides sistêmicos ou corticóides intra-articulares pode ser necessário, em alguns casos prescritos pelo médico.

Antibioticoterapia: em alguns casos podem ser necessários quando precritos pelo médico.

Medicamentos deve ser prescrito pelo médico.

Colocar bolsa de gelo no local afetado para diminuir a dor. Não se devem colocar produtos quentes na região, porque o calor faz piorar a inflamação local e intensificar a dor.

Controlar  a pressão arterial, se for hipertenso.

Controlar a ingesta de açúcar, no caso de Diabete mellitus.

Tratamento dietoterápico: modificações da dieta adotando uma alimentação saudável e equilibrada. Alimentos ricos em purina devem ser evitados ou reduzidos. Dieta pouco calórica, com baixa ingestão de carboidratos. Frutas, leite e queijos  não fermentados corrigem  a acidose latente, característica do portador de gota. Tomar bastante líquidos para prevenir lesões renais.

 

Obs: Deve-se ficar atento aos efeitos colaterais e com as toxicidades que são relacionadas aos medicamentos. Principalmente em pacientes que apresentam comorbidades e que fazem uso de  outros tipos de medicamentos.

 

Complicações

A Gota quando se encontra na fase crônica, pode causar algumas complicações graves:

·         Insuficiência renal.

·         Nefrolitíase.

·         Nefropatia intersticial.

·         Problemas gastrointestinais.

 

Sequelas

As sequelas são resultantes do processo crônico de altas concentrações de cristais de ácido úrico no organismo.

·         Defeitos irreversíveis nas articulações.

·         Deformidades permanentes.

·         As lesões crônicas das articulações causam determinados tipos de formações que são conhecidos como tofos.

·         Lesões cardiovasculares.

·         Lesões renais causando formação de cálculos e aparecimento de cólicas renais fortes.

·         Osteomielite (processo infeccioso no osso).

·         Bursas.

 

Cuidados gerais

Alguns cuidados são necessários e importantes para que o paciente com gota tenha uma qualidade de vida melhor e mais saudável.

·         Tentar evitar alimentos que aumentam a quantidade de ácido úrico.

·         Eliminar alimentos ricos em purinas.

·         Evitar consumir grandes quantidades de carne vermelha.

·         Reduzir  o consumo de proteínas.

·         Quando estiver em tratamento, não ingerir bebidas alcóolicas.

·         Evitar a bebida alcoólica, porque o álcool torna o sangue um pouco mais ácido, consequentemente facilita a deposição de cristais nas articulações.

·         Evitar ou diminuir a quantidade de consumo de frutos do mar.

·         Tentar evitar o consumo de gorduras.

·         Evitar ficar em jejum desnecessário.

·         Evitar a desidratação.

·         Ingerir bastante líquidos como água e sucos (mais de três litros por dia). A ingesta de líquidos facilita a excreção do ácido úrico e diminui a possível formação de cálculos. 

·         O tratamento deve ser seguido corretamente para tentar evitar as crises de gota.

·         Perda de peso, caso esteja acima do peso ideal.

·         Usar sapatos confortáveis, de preferência de salto baixo e com a parte da frente mais espaçosa para não comprimir os dedos.

·         Se do tofo sair alguma secreção esbranquiçada, deve-se lavar a lesão com soro fisiológico 0,9%, depois fazer um curativo e procurar o médico.

 

Durante a crise:

·         Descanso no leito é necessário para que a articulação atingida fique sem movimentação; esse procedimento ajuda a diminuir a dor e evita a pressão no local.

·         Manter a articulação lesada elevada, porque a gravidade ajuda a diminuir o processo inflamatório, reduzindo o fluxo sanguíneo para a articulação com gota.

·         Se possível deve-se imobilizar a articulação, porque quanto menos movimentar a região mais rápido será o  processo de recuperação.

·         Ingerir mais líquidos.

 

Dúvidas de termos de expressões e termos técnicos consulte o glossário geral.