COLA DE SAPATEIRO


Introdução

A cola de sapateiro é um tipo de inalante que é vendido comercialmente e legalmente no Brasil. É considerado um dos inalantes mais fáceis de ser obtido pelos viciados, porque é barato e é facilmente encontrado nas lojas especializadas, e ainda permite o consumo em qualquer lugar. O uso de cola de sapateiro como entorpecente, pode provocar danos irreversíveis ao cérebro. A aspiração repetida  pode resultar na destruição de neurônios, provocando estragos consideráveis no cérebro. Muitos usuários de cola de sapateiro, fazem uso concomitantemente, com o álcool e outras drogas, o que pode causar a morte súbita (parada cardiorrespiratória), em alguns casos.  Um dos efeitos da cola de sapateiro é a diminuição da sensação de dor, de frio e de fome, por isso que, os mais pobres, os menores de rua e as pessoas que vivem em situação de risco,  usam esse tipo de droga.

Entre várias  substâncias que existem na cola de sapateiro, existe uma substância chamada tolueno, que é altamente  tóxica. O tolueno destrói os neurônios, diminuindo a capacidade intelectual, limita a memória, a atenção, a concentração, o ânimo e a produtividade.

Incidência

Como agem os inalantes

Os inalantes são todas as substâncias que podem ser inaladas, isto é, introduzidas no organismo através da aspiração pela boca ou nariz.  O corpo pode absorver substâncias químicas e drogas através dos pulmões por inalação. Esta via de administração vem sendo usada há muito tempo. A conexão mais forte entre os inalantes é a sua via comum de uso. Contudo, a maioria dos inalantes deprime o sistema nervoso central (SNC), com efeitos agudos muito semelhantes aos do álcool. Na verdade, muitos usuários de inalantes, usam simultaneamente outras drogas, especialmente o álcool. Os efeitos sedativos combinados aos do álcool, podem causar a morte súbita. Os efeitos a longo prazo dos inalantes diferem entre os vários compostos, mas, uma propriedade comum a muitos inalantes, é a neurotoxicidade ou danificação dos nervos.

 

O uso prolongado de agentes neurotóxicos pode causar danos irreversíveis aos nervos dos sistema periférico e central.  Os inalantes podem reduzir o fluxo de oxigênio para o cérebro, o que pode matar células do cérebro. Uma vez que um inalante chega aos pulmões, ele entra na corrente sanguínea. As substâncias químicas no sangue atingem o  cérebro em segundos. O uso excessivo de alguns inalantes  podem causar danos à medula óssea. Isto  pode causar uma produção insuficiente de glóbulos vermelhos. A fadiga constante é um sintoma deste estado. O contato crônico com alguns inalantes, pode danificar os rins e o fígado, reduzindo suas funções. Se isto acontecer, o corpo fica menos apto para se livrar das toxinas ou produtos  do metabolismo (talvez até do próprio inalante).

 

Foram produzidas várias substâncias químicas voláteis com estruturas muito diferentes, que são usadas na indústria médica e também individualmente. A lista inclui agentes anestésicos, solventes, combustíveis, propulsores, entre outros.  À medida que a lista cresce, crescem também as oportunidades de comprometimento e de abuso. Os sintomas agudos do abuso de inalantes, começam com a desinibição que pode surgir como excitação, seguida de falta de coordenação, vertigem, desorientação e, então, fraqueza muscular, às vezes alucinações, podendo chegar ao coma e a morte. A morte pode ocorrer cedo e rápido, com  o abuso  de alguns tipos de inalantes, que causam distúrbios no ritmo cardíaco. Isto é chamada  de síndrome da morte súbita por inalação. Os efeitos no coração são mais prováveis, se os níveis de adrenalina forem aumentados através de corrida, excitação ou medo, por exemplo.  Pode ocorrer morte por asfixia, se o inalante for aspirado de um recipiente fechado. O vapor dos inalantes toma o lugar do oxigênio no recipiente e nos pulmões.  A falta de oxigênio não é detectada pelo cérebro durante a intoxicação, devido aos crescentes efeitos sedativos do inalante. No caso de sobrevivência do usuário, podem ocorrer danos cerebrais permanentes.

 

Os efeitos crônicos dos inalantes variam, dependendo do agente. A tolerância pode ocorrer com a maioria deles: com o tempo são necessárias quantidades cada vez maiores da droga para surtir o efeito desejado. Os sintomas de retirada são semelhantes aos do álcool.

Efeitos no cérebro

A aspiração repetida de substâncias inalantes, como a cola de sapateiro, pode levar à destruição de neurônios e ocasionar lesões irreversíveis do cérebro. Geralmente, os usuários apresentam apatia, têm dificuldade de concentração e déficit de memória. Os efeitos da inalação dos solventes podem ser classificados em quatro fases:

A primeira é a chamada fase de excitação quando ocorre também tonturas e perturbações auditivas e visuais.

Na segunda fase, a depressão do cérebro  começa a predominar: a pessoa fica confusa, desorientada, voz meio pastosa, visão embaçada, perda do autocontrole, dor de cabeça e palidez.

Na terceira, a depressão se aprofunda com redução acentuada do alerta, incoordenação ocular (a pessoa não consegue mais fixar os olhos nos objetos), incoordenação motora com marcha vacilante, a fala "enrolada", reflexos deprimidos; já pode ocorrer evidentes processos alucinatórios.

A quarta é caracterizada pela depressão tardia, que pode chegar à inconsciência, queda da pressão, sonhos estranhos, podendo ainda a pessoa apresentar surtos de convulsões ("ataques"). Esta fase ocorre com freqüência entre aqueles cheiradores, que usam saco plástico, e após um certo tempo, já não conseguem afastá-lo do nariz, e assim a intoxicação torna-se muito perigosa, podendo mesmo levar ao coma e morte.

Efeitos da droga no coração

O indivíduo que inala solventes repetidamente, deixa mais vulnerável o coração. Isso acontece, porque o  solvente deixa o coração mais sensível a uma substância que o corpo fabrica, a adrenalina. A adrenalina faz o números de batimentos cardíacos aumentarem.  A adrenalina é liberada toda vez que o corpo humano  tem que exercer um esforço extra. Quando uma pessoa inala um solvente, e logo após faz esforço físico, o coração sofre uma sobrecarga de batimentos cardíacos, o que pode em algumas situações causar uma  síncope cardíaca.

Duração dos efeitos da cola de sapateiro

O início dos efeitos da cola de sapateiro no cérebro, após a aspiração, é muito rápido, dura cerca de segundos a minutos no máximo, mas entre 15 a 40 minutos desaparecem, fazendo com que o usuário tenha que repetir as aspirações várias vezes, para que as sensações da "viagem" durem mais tempo.

Drogas x Prazer

O prazer químico e artificial, provocado pela droga, é muito diferente do prazer sexual, fisiológico e natural.   O prazer químico é solitário e artificial. Geralmente, atinge a máxima intensidade,  logo nas primeiras vezes que se usa a droga, e depois com o tempo, quanto mais se usa, mais esse prazer vai diminuindo, devido principalmente à tolerância, que a droga causa no corpo. Esse ciclo de prazer, necessidade e tolerância é que gera a dependência. O usuário tem a necessidade vital de se drogar cada vez mais, para tentar atingir aquele ápice do prazer, na fase inicial do vicio. Essa sensação prazerosa que a droga causa nos usuários, é que incita mais pessoas a experimentarem  e a se viciarem nas drogas.

Tipos de viciados

Esses grupos podem se enquadrar em qualquer tipo de droga.

Motivos que podem levar ao uso da cola de sapateiro

Perfil dos viciados em cola de sapateiro

Geralmente, os viciados em cola de sapateiro são crianças, adolescentes e jovens. Isso acontece porque a droga é mais barata, e muito fácil de ser adquirida pelos menores e jovens adolescentes. O perfil dos jovens usuários de cola de sapateiro pode ser enquadrado nas seguintes condições:

Cola de sapateiro e os menores de rua

O acesso fácil leva as crianças e jovens a se viciarem na cola de sapateiro. A sensação de impunidade, também funciona como um fator determinante para o viciado usar este tipo de droga.Os menores de rua sempre andam em grupos de quatro a seis integrantes,  quando querem usar a cola de sapateiro. Juntos, um protege o outro. A grande maioria, comete pequenos assaltos nos semáforos, e o dinheiro arrecadado muitas vezes, é utilizado para comprar mais droga. São crianças e adolescentes desnutridos, magros, usam roupas sujas, e muitos fogem do ambiente familiar degradado.

A droga fica quase sempre escondida debaixo de camisas e blusas bem grandes. Os menores usam recipientes vazios de água mineral  ou sacos plásticos para inalar a cola de sapateiro. Cheirar cola para muitos menores, passa a fome, a dor e o frio. Muitos dizem que já experimentaram a maconha, mas que a "erva", dá lárica (vontade de comer), é mais cara e dura pouco. A cola de sapateiro é adquirida livremente pelos  maiores de 18 anos, nas lojas especializadas.  Apesar das restrições para se adquirir a cola de sapateiro, ela ainda é considerada uma das drogas ilícitas mais fácil e barata de ser adquirida.

Sinais de alerta

Os sinais de alerta para identificar um viciado em cola de sapateiro, podem ser os seguintes:

 

Fase inicial:

Fase tardia:

Sinais e efeitos da droga

Por mais que se negue, o uso de drogas, principalmente, na fase inicial, é para cerca de 90% dos usuários, prazerosa. Com o tempo de uso,  é que os sinais, sintomas e efeitos negativos da droga, começam a interferir na saúde e vida do viciado.

Efeitos e sinais positivos iniciais:

Efeitos negativos iniciais:

Sinais, sintomas e efeitos negativos a longo prazo:

Casos graves:

Casos gravíssimos:

A tolerância

Consiste na perda de eficácia com o uso, seja pelo aumento da velocidade de eliminação que o organismo desenvolve, seja pela habituação que o tecido alvo, no caso o cérebro, desenvolve para o efeito da substância em uso.  A tolerância desenvolve-se muito rápido quando o usuário usa a droga todos os dias. A curta duração dos seus efeitos, induz facilmente ao consumo compulsivo. A tolerância, no caso da cola de sapateiro, se instala  após 30 a 60 dias de uso  diário da droga.

 

A tolerância significa que para se obter o mesmo efeito que se teve pela primeira vez, é necessário uma dose cada vez maior, até que se chegue a um ponto onde não se consegue mais obter o efeito da primeira vez, mesmo com doses muito maiores. Nesta fase é que ocorre o perigo da overdose e da dependência.

A Dependência

O uso de drogas, freqüentemente, conduz a um desejo maior de consumir drogas. Muitas drogas usadas de modo abusivo, como a cola de sapateiro ou os solventes em geral, podem ativar o circuito de recompensa do cérebro. Os efeitos diretos de uma determinada droga no circuito de recompensa, produzem sensações de prazer, alteram a performance,  assim por diante. Os efeitos indiretos de uma droga, estão relacionados a determinados ambientes, lugares ou memória. Estes efeitos é que podem dar início a dependência ou reforçar o desejo de consumir drogas.

 

O dependente de drogas chega a cometer crimes para manter o consumo de drogas, quando não tem dinheiro para sustentar o seu vício. Ele acaba furtando, roubando e até cometendo crimes mais graves, como assassinatos e tentativas de homicídio, para obter recursos para alimentar seu vício.

 

As drogas em geral, desencadeiam inconscientemente, a satisfação de uma forma tão intensa e plena que é difícil de ser abandonada por quem as experimenta com freqüência. Por isso, é tão difícil para alguns usuários largarem a droga e, conseqüentemente, fazem de tudo para obtê-la cada vez mais, não importando de qual maneira a droga vai ser adquirida.  O dependente de cola de sapateiro, só larga o vício se tiver muita força de vontade. Ele deve fazer uma auto-avaliação, e ponderar as perdas que teve na vida, com o prazer que sente ao consumir o tóxico, e decidir se quer parar. Se o dependente de cola de sapateiro não quiser largar o vício, é quase impossível resgatá-lo do mundo das drogas. Como a grande maioria dos dependentes da cola de sapateiro são crianças e adolescentes em situação de risco, a dependência é muito maior e mais difícil de ser combatida. Esses adolescentes e jovens no futuro terão maiores dificuldades de enfrentar a realidade e a sociedade em geral.

A Síndrome de Abstinência

A síndrome de abstinência é um conjunto de sintomas, que o viciado pode vir a  ter, devido a interrupção do vício.  Quando o usuário por qualquer motivo, interrompe  o uso de drogas, tanto o seu corpo como o seu cérebro reagem a essa situação brusca.  Geralmente, a síndrome de abstinência se instala, quando o paciente começa com o tratamento de desintoxicação ou quando o próprio dependente, resolve parar de usar drogas, por conta própria.  Os efeitos da síndrome da abstinência devido à falta da cola de sapateiro no organismo, podem causar no usuário os seguintes efeitos físicos ou psíquicos:

 

Psíquicos ou psicológicos:

Físicos:

Atenção: Apesar de muitos estudiosos e psicólogos,  considerarem que a inalação de solventes, tipo cola de sapateiro,  não causa dependência psíquica ou física. A síndrome de abstinência é uma realidade que ocorre no viciado de cola de sapateiro.  A destruição dos neurônios que o vício crônico causa, é um fato inquestionável em relação à qualidade de vida que esse usuário terá ao longo da sua existência.

O Tratamento

O tratamento psiquiátrico, psicológico e psicoterápico vai depender muito do grau de dependência da droga, no usuário. Infelizmente, em muitos casos, depende também da condição financeira da família do usuário. Os tratamentos de desintoxicação no Brasil, são ainda muito caros  e,  geralmente são  inviáveis financeiramente para uma grande parte das famílias de usuários de drogas.

 

Existem clínicas especializadas e centros sociais que dão apoio e fazem tratamento para o indivíduo viciado em cola de sapateiro. Esses ex-viciados devem ter um acompanhamento psicológico a longo prazo, após o tratamento.

As Seqüelas

O uso crônico dos inalantes e solventes, durante vários anos, podem causar no usuário dependente,  sérias dificuldades, tais quais:

Atenção:

Geralmente, as primeiras doses de qualquer droga, são  oferecidas de graça ou com o intuito de que você deve experimentar antes, para depois dizer, se foi bom ou ruim. Muitos argumentam que só uma dose ou um comprimido, não vai viciar e nem trazer nenhum risco, só  "prazeres".  O fornecimento da primeira dose  ou pílula, quase sempre é através de pessoas conhecidas ou que você considera amigos. Tome muito cuidado com aqueles que chama de "amigos", e que oferecem drogas pra você experimentar, eles podem levá-lo para um lugar que mais tarde vai ser difícil de deixar: O Mundo das Drogas.


Dúvidas de termos técnicos e expressões, consulte o glossário geral.