CRACK


Definição

A droga derivada da folha de coca é resultado da mistura de bicarbonato de sódio ou amônia e água destilada. Esse subtipo de cocaína é chamado de crack, porque faz um pequeno estalo na combustão quando está sendo fumado. O crack é aquecido em cachimbos e a queima desta combustão libera vapores que serão inalados pelo usuário.   O crack é uma droga altamente perigosa para o usuário. Os efeitos produzidos no usuário são basicamente iguais ao da cocaína, porém muito mais intensos. Podem causar irritabilidade, depressão e paranóia, algumas vezes levando o usuário a ficar completamente fora de si e violento. Afeta  a memória e a coordenação motora, provocando  um emagrecimento acentuado em pouco tempo.  O crack debilita o organismo como um todo, rapidamente, sendo considerada a droga que mais causa prejuízos no organismo do viciado, em pouquíssimo tempo de uso. O crack é uma droga ilícita que provoca a dependência química, física e psíquica em pouco tempo. Dotado de um poder viciante avassalador, a droga desestrutura a personalidade e cria uma dependência de difícil cura.

O crack também é conhecido popularmente pelo nome de primo pobre da cocaína, devido ao preço ser bem mais barato que o da cocaína, já que a pasta não precisa ser refinada.

Origem do crack

Crack é uma mistura de cloridrato de cocaína, bicarbonato de sódio ou amônia e água destilada, , que resulta em pequeninos grãos que são geralmente fumados em cachimbos improvisados ou não. É considerada uma das drogas mais viciantes e também pode levar à morte devido à sua ação fulminante sobre o sistema nervoso central e o coração.  É seis vezes mais potente que a cocaína.                                               

O nome da droga se chama crack devido ao ruído característico (cracking) que é produzido pelas pedras quando estão sendo aquecidas.

Incidência

·         Os usuários do crack  têm uma média entre os 14 a 24 anos.

·         Geralmente, os usuários têm baixo poder aquisitivo.

·         O crack ocupa o topo das substâncias ilícitas de maior poder viciante à venda no país.

·         A criminalidade em decorrência da dependência do crack está crescendo exponencialmente em todo o Brasil.

Como age no cérebro

O crack chega ao cérebro muito mais rápido que a cocaína em pó, já que a droga é usada na forma de fumaça. O crack leva de 10 a 15 segundos para alcançar o cérebro e produzir os efeitos.  As lesões cerebrais que a droga causa no sistema nervoso central (SNC) são irreversíveis. O “barato” do crack pode durar de 5 a 10 minutos.  Geralmente, após 15 minutos os sintomas da síndrome de abstinência começam, fazendo com que o viciado  tenha a necessidade imperativa de inalar a fumaça de outra pedra. A droga pode viciar a partir da segunda pedra de crack fumada.

 

Como se usa o crack

 

O crack é usado pelo viciado através da inalação da fumaça; Para fumar a droga, o usuário coloca a droga em um cachimbo de vidro ou improvisado. Com um pedaço pequeno de palha de aço em um lado do cachimbo e do outro lado desse filtro a pedra de crack. Quando a pedra é aquecida por baixo, produz um vapor ou fumaça. O usuário aspira essa fumaça.

 

Os motivos que podem levar ao uso do crack

 

O crack não é uma das primeiras drogas que o viciado experimenta pela primeira vez. Geralmente, ele já usou a maconha e a cocaína, para só depois experimentar o crack. Os motivos mais comuns são os seguintes:

 

·         Curiosidade: para sentir o efeito mais forte e rápido.

·         Financeiro: o crack é bem mais barato que a cocaína.

·         Achar que não vai ficar viciado.

·         Fazer parte de determinado grupo.

Os tipos de viciados

Esses grupos podem se enquadrar em qualquer tipo de droga.

§  Ocasionais: São aqueles que provam uma determinada droga, movidos pela curiosidade ou por alguma pressão no momento, e não mais voltam a usá-la. Nesses casos, não ocorre dependência física ou psicológica, e não apresentam nenhum tipo de  transtorno se não usarem mais a droga. Também são chamados de experimentadores.

§  Moderados: São aqueles que já apresentam uma certa dependência psíquica  e um certo impulso que faz com que eles procuram  mais droga. Dependendo do tipo de droga e do tempo de utilização, estes usuários podem já apresentar algumas alterações leves de comportamento nas áreas afetivas, profissional e familiar.

§  Habituais: Apresentam dependência psíquica acentuada, pois mudam seus hábitos para procurarem fornecedores de drogas (amigos ou traficantes), apresentando modificações evidentes no comportamento habitual, mudanças de humor, criam atritos familiares, trocam o dia pela noite, têm dificuldades em estabelecer ligações íntimas com as pessoas. Têm dificuldades na área profissional.

§  Dependentes químicos: São aqueles que dependem da droga para sobreviver, fazendo da droga seu único objetivo de vida. Não há outro interesse por nenhuma atividade. Nesses casos, as alterações físicas, mentais, e psicológicas são evidentes. O dependente químico é chamado também de toxicômano.

Os sinais  de alerta

O crack é uma droga que vicia e causa dependência muito rapidamente.  Os sinais de alerta mais comuns são as mudanças de comportamento rápidas que o usuário de crack  demonstra com muita mais facilidade do que os usuários de outras drogas. As alterações comportamentais nas crianças e adolescentes na maioria dos viciados são as seguintes:

·         Agressividade sem motivo.

·         Descuido com a higiene do corpo.

·         Desempenho escolar fica comprometido consideravelmente.

·         Irritabilidade crescente.

·         Isolamento.

·         Mentiras: o viciado começa a mentir constantemente devido ao uso da droga e a busca para obter o crack.

·         Mudança no modo de se vestir.

·         Mudança de humor.

·         Nervosismo.

·         Pequenos roubos: para obter a droga o viciado começa a praticar pequenos roubos dentro da sua própria casa, geralmente começa furtando objetos, roupas, tênis e pequenos eletrodomésticos para comprar mais crack.

·         Perda do apetite ou o comer compulsivo e desmedido: no início o usuário sente muita fome e come muito sem controle, mas com o aumento das doses de crack, o viciado começa a ter perda de apetite se alimentando cada vez menos.

·         Troca de amigos: os amigos antigos são substituídos por outros, que na sua grande maioria são também usuários de drogas.

Obs: Os pais devem ficar atentos às mãos das crianças, porque os usuários de crack geralmente têm os dedos com pequenas queimaduras devido ao isqueiro ou fósforos utilizados para acender as pedras no cachimbo.  Com o tempo, os tremores nas mãos fazem com que o viciado se queime com mais facilidade.

Fase inicial do vício

·         Dores de cabeça

·         Tonturas.

·         Períodos de insônia: com o tempo de vício o usuário troca o dia pela noite.

·         Desmaios

·         Transpiração excessiva.

·         Palidez

·         Tremores nas mãos.

·         Falta de apetite (inapetência).

·         Perda considerável de peso.

·         Perda de sensação do cansaço.

·         Pigarro.

Fase  avançada:

·         Alucinações.

·         Delírios.

·         Convulsões.

·         Desorientação.

·         Emagrecimento acentuado.

·         Alterações na coordenação motora.

·         Alterações graves de comportamento.

·         Tosse crônica e insistente.

·         Expectoração de muco escurecido.

·         Dificuldade crescente para concentrar-se.

·         Dificuldade para comunicar-se.

Drogas x Prazer

O prazer químico e artificial, provocado pela droga, é muito diferente do prazer sexual, fisiológico e natural.   O prazer químico é solitário e artificial. Geralmente, atinge a máxima intensidade  logo nas primeiras vezes que se usa a droga, e depois com o tempo, quanto mais se usa, mais esse prazer vai diminuindo, devido principalmente à tolerância que a droga causa no corpo.

Esse ciclo de prazer, necessidade e tolerância é que gera a dependência. O usuário tem a necessidade vital de se drogar cada vez mais, para tentar atingir aquele ápice do prazer, na fase inicial do vicio, Essa sensação prazerosa que a droga traz, é que incita às pessoas a experimentar uma droga.

Os efeitos imediatos

Geralmente, esses efeitos imediatos são sentidos logo após o uso do crack, podem também variar no sentido do tempo da administração, tempo de vício e do tipo de vida que o usuário leva.  Esses efeitos imediatos são mais sentidos e detectados, em usuários com pouco tempo de vício.  

 

Efeitos psicológicos:

·         Sensação de aparente bem-estar.

·         Euforia.

·         Desinibição.

·         Agitação psicomotora.

·         Aumento da capacidade física.

·         Aumento da capacidade mental.

·         Indiferença à dor.

·         Indiferença ao cansaço.

·         Nervosismo.

 

Efeitos biológicos:

·         Aceleração dos batimentos cardíacos (taquicardia).

·         Aumento da pressão arterial (hipertensão arterial).

·         Aumento da temperatura do corpo.

·         Dilatação das pupilas.

·         Sudorese (suor intenso).

·         Tremor muscular.

·         Excitação acentuada.

A tolerância

Consiste na perda de eficácia com o uso, seja pelo aumento da velocidade de eliminação que o organismo desenvolve, seja pela habituação que o tecido alvo, no caso o cérebro, desenvolve para o efeito da substância em uso.  A tolerância desenvolve-se muito rápido quando o usuário usa a droga todos os dias. A curta duração dos seus efeitos induz facilmente ao consumo compulsivo.

A tolerância significa que para se obter o mesmo efeito que se teve pela primeira vez, é necessário uma dose cada vez maior, até que se chegue a um ponto onde não se consegue mais obter o efeito da primeira vez, mesmo com doses muito maiores. Nesta fase é que ocorre o perigo da overdose e da dependência.

A dependência

O uso de drogas freqüentemente conduz a um desejo maior de consumir drogas. Muitas drogas usadas de modo abusivo, como o crack , podem ativar o circuito de recompensa do cérebro. Os efeitos diretos de uma determinada droga no circuito de recompensa, produzem sensações de prazer, alteram a performance  assim por diante. Os efeitos indiretos de uma droga estão relacionados a determinados ambientes, lugares ou memória. Estes efeitos é que podem dar início a dependência ou reforçar o desejo de consumir drogas. 

 

O dependente de drogas chega a cometer crimes para manter o consumo de drogas, quando não tem dinheiro para sustentar o seu vício. Ele acaba furtando, roubando e até cometendo crimes mais graves, como assassinatos para obter recursos para alimentar seu vício.  O viciado em crack em pouquíssimo tempo torna-se completamente dependente da droga, não medindo esforços para consegui-la.

 

As drogas em geral, desencadeiam inconscientemente, a satisfação de uma forma tão intensa e plena que é difícil de ser abandonada por quem as experimenta com freqüência. Por isso, é tão difícil para alguns usuários largarem a droga e, conseqüentemente, fazem de tudo para obtê-la cada vez mais, não importando de qual maneira a droga vai ser adquirida.  O dependente de crack, só larga o vício se tiver muita força de vontade. Ele deve fazer uma auto-avaliação, e ponderar as perdas que teve na vida com o prazer que sente ao consumir o tóxico e decidir se quer parar. Se o dependente de crack  não quiser largar o vício, é quase impossível resgatá-lo do mundo das drogas.

 A síndrome de abstinência

A síndrome de abstinência é um conjunto de sintomas, que o viciado pode vir a  ter, devido à interrupção do vício.  Quando o usuário por qualquer motivo interrompe  o uso de drogas, tanto o seu corpo como o seu cérebro, reagem a essa situação brusca.  Geralmente, a síndrome de abstinência se instala, quando o paciente começa com o tratamento de desintoxicação ou quando o próprio dependente, resolve parar de usar drogas por conta própria. No caso do crack, os sintomas da abstinência podem levar às seguintes situações:

·         Ansiedade.

·         Agitação.

·         Agressividade.

·         Desgaste físico.

·         Depressão profunda.

·         Exaustão.

·         Irritabilidade.

·         Necessidade de consumir a droga.

·         Prostração intensa.

·         Raiva.

O tratamento

O tratamento psiquiátrico, psicológico e psicoterápico vai depender muito do grau de dependência da droga, no usuário. Infelizmente, em muitos casos, depende também da condição financeira da família do usuário. Geralmente, os tratamentos de desintoxicação são demorados e caros, sendo inviáveis financeiramente para uma grande parte das famílias de usuários de drogas.  O tratamento exige também sessões de psicoterapia e medicamentos específicos, principalmente tranquilizantes e antipsicóticos.

Existem clínicas especializadas e centros sociais que dão apoio e fazem tratamento para o indivíduo viciado em cocaína. O  acompanhamento psicológico deve ser a longo prazo, após o tratamento.

Clínicas de desintoxicação

As clínicas de internamento e desintoxicação para usuários dependentes de drogas, na sua grande maioria são caras e muitas famílias não têm condições de internar o seu filho ou parente,  para uma desintoxicação.  Os governos estaduais, através das suas Secretarias de Assistência Social oferecem alguns desses serviços gratuitamente. As famílias necessitadas devem entrar em contato com essas instituições.  Muitos grupos de apoio e organizações não-governamentais oferecem este tipo de serviço gratuitamente ou através de pequenas taxas mensais. As famílias dos usuários  e dependentes de drogas, devem tentar entrar em contato com as mesmas, para que o tratamento de desintoxicação seja iniciado o mais rápido possível.

Conseqüências na gravidez

A  mulher  que usa o crack durante o período da gravidez tem uma maior incidência  para o aborto natural e nascimento prematuro.  Os bebês de mães viciadas em crack durante a gravidez apresentam cérebro menor, choram de dor quando tocados ou expostos à luz e têm uma maior dificuldade para sugar o peito da mãe. À medida que vão crescendo apresentam maior dificuldade para falar e andar, também apresentam dificuldade de aprendizado.

Atenção

As primeiras doses de qualquer droga, geralmente são  oferecidas de graça ou com o intuito de que você deve experimentar antes, para depois dizer, se foi bom ou ruim. Muitos argumentam que só uma dose ou um comprimido, não vai viciar e nem trazer nenhum risco, só  "prazeres".  O fornecimento da primeira dose  ou pílula, quase sempre é através de pessoas conhecidas ou que você considera amigos. Tome muito cuidado com aqueles que chama de "amigos", e que oferecem drogas pra você experimentar, eles podem levá-lo para um lugar que mais tarde vai ser difícil de deixar: O Mundo das Drogas.


Dúvidas de termos técnicos  e expressões, consulte o glossário específico de Doenças Neurológicas ou o Glossário geral.