GHB


Definição

O GHB é uma droga sintética à base do ácido gama-hidroxibutirato. O GHB é um anestésico injetável, que até os anos 90 era legal nos EUA.   Já foi usado pela Medicina, como tratamento para distúrbios do sono.  O GHB era vendido em farmácias e lojas de suplementos vitamínicos, até ser proibido.  Atualmente, o GHB é utilizado muito em festas com músicas eletrônicas, discotecas, boates e festas "raves".  Os adolescentes e jovens alegam que  a droga serve como uma "diversão" e que não vicia.

 

A droga também é encontrada em algumas academias de musculação.  Nas academias o GHB, tem a  fama de que melhora a disposição do atleta para fazer atividade física e ajuda a aumentar a massa muscular.   O GHB também é usado em bebidas e medicamentos para "queimar gorduras" e "aumentar a capacidade para atividades físicas".  Pode ser misturado até a água sem que se perceba que está misturada.

 

A dificuldade  de acesso às drogas sintéticas e o preço explicam o motivo pela qual  a grande maioria tanto dos usuários como dos fornecedores, pertencem às classes com mais condições financeiras. Para conseguir traficar, geralmente o fornecedor tem que ir para o exterior onde existem os grandes produtores da droga. Para o usuário consumir a droga sintética, paga-se muito mais do que a cocaína ou maconha.  E finalmente, para ter a droga sintética, o usuário não precisa se deslocar para as "bocas" ou pontos de venda, tendo que se arriscar a levar um tiro ou ser preso. Através do celular e da Internet, tendo acesso ao contato certo, a droga é comprada e entregue sem imprevistos e em segurança.

O GHB é considerada uma droga ilícita e depressora do Sistema Nervoso Central (SNC).

Sinonímia

A droga GHB também é conhecido pelos seguintes nomes:

Origem

Gamma-hidroxibutirato. É um componente natural de células humanas mas também é uma substância produzida em laboratório. Produzido geralmente através da combinação da butirlactona-gamma e uma base como o hidróxido de sódio. Estas duas substâncias reagem quimicamente dando forma ao produto original. É utilizado como intoxicante recreacional mas já foi utilizado como anestésico e suplemento alimentar, para atletas, há alguns anos.  Mas, devido a problemas respiratórios e a dificuldade de se calcular a dosagem máxima permitida,  o seu uso medicinal foi abolido devido aos seus efeitos colaterais indesejáveis. O GHB pode ser fabricado de modo caseiro.

Como age o GHB no cérebro

Ele age em três receptores cerebrais, responsáveis por sensações de euforia, prazer e sedação. A droga é considerada um depressor do sistema nervoso central.  Em doses baixas o cérebro funciona em "câmera lenta",  já em doses altas, o GHB provoca no cérebro um "apagão cerebral". O usuário não se lembra de nada depois dos efeitos da droga. O ácido gama hidroxibutirato e seus produtos de biotransformação, gama butirolactona (GBL) e 1,4 butanodiol (1,4 BD), causam depressão do Sistema Nervoso Central (SNC). Doses subanestésicas elevam o nível de dopamina central, provocando um estado de alerta e felicidade e sendo erroneamente comparado ao êxtase (MDMA).
O GHB além de afetar o SNC, também causa alterações no sistema cardiovascular e o sistema respiratório, mas não tem efeitos tóxicos para os rins e o fígado. Caso ocorra efeitos toxicológicos nesses órgãos o GHB, foi misturado a outras drogas.

Derivados de anfetaminas

Os Clubs Drugs são os derivados de anfetaminas e alguns agentes alucinógenos, mais utilizados em danceterias, boates, raves e festas embaladas a música eletrônica.

 

NOME POPULAR

NOME DO AGENTE

Ecstasy

MDMA (3,4-metilenodioximetanfetamina

Ecstasy Líquido

GHB (gama-hidroxibutirato)

Rohypnol

Flunitrazepan

Ketalar, Special K

Cetamina

Ice, Cristal

Metanfetamina

Poppers, Rush

Nitrato de amil

Cápsula do Vento

2,5 dimetoxi-4-bromoanfetamina

PCP

Cloridrato de fenciclidina

LSD

Dietilamida do Ácido lisérgico

 

Derivados do GHB

Devido  ao aumento da popularidade do GHB, entre os jovens a  legislação brasileira aumentou o cerco contra os usuários do GHB.  Alguns consumidores passaram então a utilizar drogas lícitas, derivadas do GHB, para contornar a lei vigente. O Gama-butirolactona (GBL) e 1,4-butanediol são derivados do GHB com uso industrial legal e que se tornaram drogas de abuso.

Tipos de viciados

Esses grupos podem se enquadrar em qualquer tipo de droga.

Motivos que podem levar ao uso do GHB

Drogas x Prazer

O prazer químico e artificial, provocado pela droga, é muito diferente do prazer sexual, fisiológico e natural.   O prazer químico é solitário e artificial. Geralmente, atinge a máxima intensidade  logo nas primeiras vezes que se usa a droga, e depois com o tempo, quanto mais se usa, mais esse prazer vai diminuindo, devido principalmente à tolerância que a droga causa no corpo. Esse ciclo de prazer, necessidade e tolerância é que gera a dependência. O usuário tem a necessidade vital de se drogar cada vez mais, para tentar atingir aquele ápice do prazer, na fase inicial do vicio.  Essa sensação prazerosa que a droga traz, é que incita às pessoas a experimentar uma droga.

Sinais de alerta

Os sinais de alerta para identificar em uma festa, uma pessoa que está usando GHB:

Dosagem

O GHB é geralmente comercializado em estado líquido. A substância é incolor, inodora e de sabor levemente salgado.  Um dos problemas de dosagem está na pequena diferença entre as doses que podem provocar os efeitos positivos da droga e as doses que causam intoxicações agudas.

 O GHB  é geralmente vendido em pequenas doses: três mililitros. Não é uma droga barata, em média custa mais de R$ 30,00 a dose. Quando a droga é vendida muito barato, abaixo do preço médio, provavelmente está adulterada ou misturada, isto é, "batizada". A droga geralmente é misturada a algum líquido para a ingestão.

Efeitos do GHB

Os efeitos do GHB variam de pessoa para pessoa e dependem muito da dosagem. A grande maioria dos usuários do GHB, sentem mais os efeitos positivos e prazerosos da droga, do que os negativos.  Os efeitos negativos ou indesejados, geralmente são mais sentidos, pelos que usam a droga em doses um pouco mais altas, naqueles que a experimentam pela primeira vez ou quando a usam em situações ocasionais.

 

Após a sua ingestão, cerca de 10  a 15 minutos o usuário começa a sentir   a presença de seus efeitos positivos que podem durar aproximadamente 2 horas, porém quanto mais for ingerido lentamente, os efeitos permanecem por muito mais tempo. Nas doses muito baixas os efeitos positivos ou prazerosos são mais sentidos, à medida que se aumenta a dosagem, os efeitos negativos ou indesejados  começam a ser notados. A faixa de uso segura e as altas dosagens são muito difíceis de serem dosadas, principalmente quando o usuário já tomou a primeira dose.

 

Positivos ou prazerosos:

 

O "barato",  a "viagem",  ou a sensação de prazer do GHB tem um período mais duradouro do que outras drogas.  Mas, geralmente depois que passa o efeito da droga, o usuário fica um pouco deprimido e mais lento, ou como se costuma falar no meio, "mais devagar". Isso ocorre porque a droga tem como uma de suas substâncias um anestésico muito forte. Os efeitos positivos ou prazerosos  que a "onda" do GHB trazem são os seguintes:

Negativos ou indesejados:

 

Os efeitos negativos imediatos para quem toma o GHB, são os seguintes:

Muitos usuários, além do suadouro e dos efeitos prazerosos imediatos da droga, não sentem  mais nada em relação aos riscos que a droga pode causar. Mas, o GHB pode levar o usuário a "viagens" bem desagradáveis e muitos acabam a "viagem" em um hospital, porque muitos não conhecem o limite entre a dose prazerosa e a tóxica.

 

O GHB estimula o sono de onda curta, isto é, o usuário tem uma pequena sonolência. O GHB não provoca o sono REM, isto é, um sono mais pesado. Quando ocorre do usuário dormir muito durante o tempo de duração dos efeitos do GHB, pode ser que a dosagem tenha sido acima do normal.  O efeito anestésico do GHB é essencialmente hipnótico e provoca pouca ou nenhuma analgesia.

Riscos

Os riscos de doses elevadas são caracterizados por:

Atenção:

Overdose

Na overdose pode ocorrer um relaxamento muscular tão intenso, que o ato de respirar fica prejudicado e os batimentos cardíacos ficam reduzidos.  Todo esse processo pode causar um colapso respiratório. Uma overdose de GHB pode trazer graves conseqüências, como pode causar  também o estado de coma irreversível e até a  morte.  Combinar GHB com álcool, pode levar a uma overdose. A overdose pode ocorrer em alguns casos  na seguinte seqüência:

Após uma overdose por GHB, o usuário deve ser levado imediatamente para tratamento de emergência, em um hospital. Os acompanhantes devem informar sobre o uso excessivo de GHB, pela vítima.

 

Cuidado: A mistura de GHB com álcool ou outras drogas aumenta o risco de overdose, ferimentos, violência, abuso sexual e morte.

Conseqüências a longo prazo

As conseqüências a longo prazo devido ao consumo de GHB, ainda não são totalmente conhecidos. Isso ocorre porque o GHB não é uma droga que se tome todos os dias. A maioria dos usuários ocasionais usam o GHB em ocasiões como festas eletrônicas, bailes funk,  baladas, "raves" e outros tipos de eventos ou durante algum tempo em academias para ganhar músculos e conseqüentemente, força muscular.

Dependência química

O GHB não é uma droga que cause muita dependência química. Mas, o usuário pode iniciar problemas psicológicos decorrentes do uso de drogas sintéticas.  Podem ocorrer pequenos surtos de quadros psicóticos, depressão pós-uso e algumas falhas de memórias. Alguns também experimentam alguma dificuldade de concentração, quando não fazem uso da droga.

 

As drogas em geral, incluindo o GHB,  desencadeiam inconscientemente a satisfação de uma forma tão intensa e plena, que é difícil de ser abandonada, por quem as experimenta com freqüência. Por isso, é tão difícil para alguns usuários largarem a droga.

Síndrome da abstinência

São poucos os dependentes químicos de GHB. Mas, os relatos de jovens que usam a droga com uma certa freqüência, contam que quando ficam sem tomar a droga durante algum tempo, sentem os seguintes sintomas:

Perfil do fornecedor de droga sintética

O tráfico de drogas sintéticas,  difere e muito do que ocorre com relação  ao crack, cocaína e maconha. Não existe empresa e nem organograma com funções bem definidas, também não há "bocas" ou pontos de venda, como no comércio por exemplo, de compra e venda de cocaína e maconha. A transação ou "negócio" é feita diretamente entre o pequeno fornecedor e o usuário,  geralmente a figura do intermediário, não é encontrada na venda de drogas sintéticas. A venda é toda feita antes e durante as festas regadas a música eletrônica, através do telefone celular ou da Internet. A venda da droga também é feita por contato direto entre o traficante  e usuário, nas escolas, faculdades, cursinhos pré-vestibulares, academias ou  na própria casa do usuário.

 

Muitos jovens começam a traficar droga sintética, porque para eles, comprar muitas unidades sai muito mais barato do que comprar uma  ou duas. O pequeno traficante de droga sintética, na sua grande maioria não acha que faz tráfico, porque sempre alegam que só vendem para amigos e conhecidos. Para eles, só são traficantes, aqueles que  vendem  grande quantidade de drogas a pessoas desconhecidas. Só compra, quem possui o contato certo. O perfil dos pequenos fornecedores de droga sintética  é o seguinte:

Esse perfil de fornecedor ou traficante de drogas sintéticas, se refere aos pequenos fornecedores, pois estes comercializam pequenas quantidades de drogas. Os grandes fornecedores de drogas sintéticas vivem no exterior, na Europa, EUA e Ásia. Atualmente, alguns estados brasileiros já estão produzindo em laboratórios clandestinos drogas sintéticas para o consumo interno. Esses laboratórios geralmente, são comandados por jovens universitários de classe média alta.

GHB e a violência sexual

O GHB é enquadrado dentro das "drogas de estupro", porque depois que ocorre a violência, a vítima geralmente, não se lembra do que aconteceu. Depois que a pessoa toma o GHB, sem saber misturado a uma bebida qualquer, ela pode ficar mais relaxada e vulnerável a ação de estranhos.

O estupro pode ocorrer ou com a jovem acordada ou inconsciente, porque o GHB pode causar também a perda da consciência, em pessoas que não estão acostumadas a tomar a droga.   Depois que  acorda,  a vítima da violência sexual, em muitos casos não se lembra de nada, nem que foi estuprada e nem quem a estuprou.  A incidência de violência sexual através do GHB, é maior em adolescentes do sexo feminino, mas existem relatos de casos de estupro também  contra adolescentes e jovens do sexo masculino.

Dicas para evitar bebidas "batizadas"

Atenção:

Tenha muito cuidado! As primeiras doses de qualquer droga, geralmente são  oferecidas de graça ou com o intuito de que você deve experimentar antes, para depois dizer, se foi bom ou ruim. Muitos argumentam que só uma dose ou um comprimido, não vai viciar e nem trazer nenhum risco, só  "prazeres".  O fornecimento da primeira dose  ou pílula, quase sempre é através de pessoas conhecidas ou que você considera amigos. Tome muito cuidado com aqueles que chama de "amigos", e que oferecem drogas pra você experimentar, eles podem levá-lo para um lugar que mais tarde vai ser difícil de deixar: O Mundo das Drogas.


Dúvidas de termos técnicos  e expressões, consulte o glossário específico de Doenças Neurológicas ou o glossário geral.