HIPOPARATIREOIDISMO


Definição

O Hipoparatireoidismo é uma patologia provocada pela diminuição ou ausência da secreção das glândulas paratireoides. É considerada uma doença rara, que causa o abaixamento do nível de cálcio no sangue, em função da insuficiência de hormônio da glândula paratireoide. Encostadas na tireoide, as quatro glândulas paratireoides, desempenham o importante  papel de manter um nível adequado de cálcio no sangue,  e, portanto, no organismo.  

A diminuição dessa função vital  das glândulas tem na maioria dos casos, uma causa bem conhecida; a insuficiente secreção do hormônio paratireoideano, em consequência da destruição parcial ou total das glândulas que o produzem.

A deficiência de paratormônio causa diminuição da quantidade de cálcio no sangue, o que faz as células musculares esqueléticas contraírem-se convulsivamente.  Caso a pessoa afetada por essa deficiência não seja tratada, com administração de paratormônio ou de cálcio, pode ocorrer tetania muscular e morte.

 

Funções das glândulas paratireoides

A espécie humana possui quatro glândulas paratireoides, que ficam aderidas à parte posterior da tireoide. As glândulas paratireoides são minúsculas glândulas endócrinas, do tamanho de um feijão, incrustadas na porção posterior da glândula tireoide. Tem como funções:  produzir, armazenar e secretar paratormônio; aumentar a concentração dos íons cálcio no plasma, agindo sobre:

 

·         Rim: para diminuir a eliminação de íons cálcio na urina.

·         Aparelho digestivo: para aumentar a absorção de íons cálcio existente no quimo.

·         Ossos: para aumentar suas contribuições de íons para o plasma.

Fisiopatologia

Quando ocorre o hipoparatireoidismo a calcemia cai, causando sintomas de hiperirritabilidade, espasmos descontrolados e tetania hipocalcêmica. O nível do fosfato no sangue encontra-se elevado. A excreção do fosfato pelos túbulos renais está diminuída.

Incidência

·         Afeta tanto os homens quanto as mulheres na mesma proporção.

·         Mais comum em crianças abaixo dos 16 anos. e adultos com mais de 40 anos.

Causas

As causas do Hipoparatireoidismo podem ser devidas a um problema congênito, no nascimento, ou mais comumente, por causa de uma condição adquirida.

O Hipoparatireoidismo observado nos primeiros meses após o nascimento pode ser de caráter permanente ou temporário. Normalmente, será detectado aos dois anos de idade.

Causas adquiridas:

·         Diminuição da função glandular (hipoparatireoidismo idiopático).

·         Traumatismo cirúrgico nas glândulas paratireoides.

·         Erro médico: remoção cirúrgica das glândulas paratireoides, durante uma cirurgia de tireoidectomia

·         Malignidade ou metástase de um câncer para as glândulas paratireoides.

·         Resistência à ação do hormônio paratireoide.

·         Processos infecciosos.

·         Intoxicação por fósforo ou chumbo.

·         Ação de radiações  elevadas aplicadas com a finalidade de corrigir um hipertireoidismo.

·         Hipoparatireoidismo autoimune ocorre quando o sistema imunológico rejeita a própria glândula paratireoide, começando a atacá-la.

 

Obs: O Hipoparatireoidismo hereditário é considerada uma doença relativamente rara.

Sinais e sintomas

Os sintomas mais comuns do Hipoparatireoidismo são os seguintes:

·         Fraqueza.

·         Aparecimento de cãibras musculares.

·         Sensação de formigamento.

·         Dormência nas mãos.

·         Perda de memória.

·         Cefaleia (dor de cabeça).

·         Ansiedade e nervosismo excessivo.

·         Aparecimento de um incontrolável movimento muscular do pulso e pés, resultantes da falta de cálcio no organismo.

·         Anemia.

·         Aspereza e secura da pele.

·         Perda de cabelo.

·         Sobrancelha delgada.

·         Depressão.

Devido a deficiência de  paratormônio:

·         Acúmulo de fósforo no sangue.

·         Diminuição da quantidade de cálcio no sangue.

Tetania muscular: 

Uma acentuada diminuição de cálcio no sangue, provoca rapidamente o aparecimento de uma tetania muscular, ou seja, um estado de contração muscular permanente, semelhante aos estados finais do tétano ou da intoxicação por estricnina. A pessoa fica com o corpo inteiramente crispado por contínuos e prolongados espasmos musculares.

·         Hipertonia muscular generalizada; as tentativas de movimento voluntário resultam em tremores e movimentos espasmódicos ou descoordenados; os dedos assumem a posição clássica.

·         A boca apresenta-se fortemente cerrada pela contração dos masseteres, os músculos mais potentes da mastigação,  e o rosto torna-se repuxado, assumindo a forma característica de "face sardônica".

·         Sinal de Chvostek: espasmo dos músculos faciais quando se percutem os músculos ou ramos do nervo facial.

·         Sinal de Trousseau: espasmo carpopedal induzido pela oclusão da circulação do braço com um aparelho de pressão.

·         Nível reduzido do cálcio sanguíneo, para um nível baixo, 7,5 mg/100ml ou menos.

·         Espasmo  muscular da laringe (laringoespasmo):  é potencialmente mortal pois o espasmo muscular da laringe provoca a contração seguida de seus músculos, determinando a oclusão prolongada do órgão. E se não forem tomadas medidas urgentes, ocorrerá a morte por asfixia.

Ansiedade e apreensão bastante acentuadas.

Geralmente, a cólica renal está presente, se o paciente teve cálculos; os cálculos preexistentes soltam-se e caem no ureter.

Diagnóstico

·         Anamnese.

·         Quadro clínico.

·         Exame físico.

·         Exame clínico.

·         Exames laboratoriais.

·         Exames de sangue específicos.

·         Testes para a dosagem de cálcio e fosfato.

·         Testes bioquímicos.

Tratamento

Existe tratamento específico para essa patologia.

 

Estudos estão sendo feitos com a vitamina D3.

 

Atualmente, pesquisas estão sendo feitas com  hormônios sintéticos da paratireoide. Os efeitos a longo prazo, no tratamento com o paratormônio humano sintético em adultos e crianças, ainda estão em estudo.

 

Para a Tetania intensa deve ser implementado tratamento medicamentoso específico à base de cálcio.

 


Dúvidas de termos técnicos e expressões, consulte o Glossário geral.