ANEMIA


Definição

Anemia é um termo que indica baixa contagem de hemácias e um nível abaixo do normal de hemoglobina e do hematócrito. A anemia não é considerada uma doença, mas um reflexo de um estado doentio ou de uma função alterada no corpo. Fisiologicamente a anemia está presente quando há uma quantidade insuficiente de hemoglobina para fornecer oxigênio para os tecidos.

Anemia é uma definição laboratorial que implica  em diminuição do número de hemácias e em níveis de hemoglobina ou de hematócritos abaixo do normal. É um dos distúrbios hematológicos mais comuns em crianças. Sempre que a formação de hemácias  ou hemoglobina estiver diminuída ou a sua destruição estiver aumentada, resultará em anemia.

Pela definição da Organização Mundial de Saúde (OMS), é considerado anêmico um homem com hemoglobina < 13 mg/dL ou uma mulher com hemoglobina < 12 mg/dL.

Causas

1.  Perda de sangue.

2.  Diminuição na produção de hemácias.

·        Deficiência nutricional.

·        Deficiência de ácido fólico.

·        Deficiência de vitamina B12.

·        Verminoses.

3.  Diminuição na produção de eritrócitos.

·        Anemia pura.

·        Anemias hemolíticas secundárias associadas a infecção, doença renal, doenças crônicas.

·        Anemias aplásticas.

·        Invasão da medula óssea que pode ser causada por leucemia ou tumores.

4.  Destruição aumentada de eritrócitos:

·        Drogas e produtos químicos.

·        Infecções.

·        Reações de anticorpos.

·        Queimaduras.

·        Venenos, incluindo o envenenamento pelo chumbo.

·        Anormalidades na membrana celular da hemácia.

·        Defeitos enzimáticos

·        Doença hemolítica do recém-nascido.

·        Síntese anormal de hemoglobina.

Alteração da fisiologia

O aparecimento de anemia reflete as seguintes alterações fisiológicas:

·        Insuficiência da medula óssea: a insuficiência da medula óssea pode ocorrer como resultado de deficiência nutricional, exposição tóxica ou invasão tumoral, ou por causas desconhecidas.

·        Perda excessiva de hemácias.

·        Defeitos congênitos na síntese da hemoglobina.

·        As hemácias podem ser perdidas através de hemorragia ou por hemólise (destruição aumentada).

·        Este problema pode ser devido a algum defeito da hemácia, que a torna inadequada para uma sobrevida normal, ou pode ser explicado por algum fator extrínseco à hemácia que promove sua destruição.

·        A lise das hemácias ocorre principalmente dentro das células fagocíticas do sistema reticuloendotelial, notadamente dentro do fígado e do baço.

·        Sendo um dos produtos finais deste processo, a bilurrubina, formada a partir da hemoglobina dentro do fagócito, penetra na corrente circulatória e um aumento da hemólise se reflete imediatamente por um aumento da bilirrubina total do plasma.

Tipos de anemias

Anemia aplástica: 

É uma condição de insuficiência da medula óssea que resulta numa quase ausência de todas as células sanguíneas (eritrócitos, leucócitos e plaquetas).

Anemia carencial:

É a ausência de substâncias nutritivas que contenham elementos indispensáveis à eritropoese normal. As anemias carenciais são ditas primárias quando a criança não recebe, através da alimentação, os elementos indispensáveis à eritropoese normal.

Anemia falciforme:

·        É uma anemia de caráter hereditário, uma delas é a falciforme, na qual os  eritrócitos tomam forma de foice, quando esses glóbulos são submetidos à baixa tensão de oxigênio, seu formato fica mais acentuado.

Anemia ferropriva:

·        A Anemia Ferropriva  é a anemia causada pela diminuição anormal das reservas de ferro do organismo, tornando-se inadequadas às necessidades da eritropoese normal, tendo em vista que ocorre deficiência de ferro, quando a velocidade de perda ou de utilização do ferro excede a sua velocidade de assimilação.

Anemia do Mediterrâneo ou talassemia:

·        É uma forma de anemia crônica e progressiva, que se manifesta desde a infância por palidez intensa, discreta icterícia com maior ou menor comprometimento das funções orgânicas e alterações ósseas. Nos casos mais intensos podem surgir complicações como Insuficiência cardíaca.

Anemia perniciosa:

·        O ácido fólico e a vitamina B12 são fatores indispensáveis à formação dos glóbulos vermelhos normais. A incapacidade de certas pessoas para utilizarem a vitamina B12 pode causar anemia perniciosa, que é caracterizada por glóbulos gigantes muito maiores que os normais e com o funcionamento deficiente.

Anemia e o idoso

A anemia é frequente nos idosos, sendo a condição hematológica mais comum que afeta o idoso, mas os estudos indicam que o processo de envelhecimento não causa mudanças na hematopoese. A causa é geralmente inexplicável. A anemia é geralmente considerada parte de um processo patológico que resulta na perda de sangue, e não um resultado do envelhecimento. Como a pessoa idosa pode ser incapaz de responder adequadamente à anemia com um aumento do débito cardíaco ou da ventilação pulmonar, a anemia pode ter efeitos sérios na função cardiopulmonar se não for tratada adequadamente. Assim, é importante identificar a causa da anemia em vez de considerá-la uma consequência inevitável do processo de envelhecimento.

Sinais e sintomas

Quanto mais rápida a instalação da anemia, mais intensos serão seus sintomas. Uma pessoa normal consegue tolerar uma redução gradativa de até 50% de hemoglobina, da contagem da série vermelha ou do hematócrito sem sintomas evidentes ou incapacidade significante, enquanto a perda rápida de até um total de 30% pode precipitar um colapso vascular profundo no mesmo indivíduo.

período prodrômico:

·        desatenção;

·        fadiga (cansaço);

·        falta de iniciativa;

·        sonolência;

·        irritabilidade;

·        inapetência.

sintomas tardios:

·        palidez;

·        astenia;

·        suscetibilidade à fadiga;

·        tolerância reduzida aos exercícios físicos;

·        respiração superficial;

·        sinais de desnutrição (ocorre na maioria das crianças);

·        cefaléia (dor de cabeça);

·        distúrbios mentais;

·        dificuldade concentração;

·        tonteiras;

·        taquicardia;

·        palpitações;

·        predisposição à Angina pectoris ou à Insuficiência Cardíaca Congestiva (ICC), nos indivíduos suscetíveis.

 

A intensidade dos sintomas depende:

 

·        da velocidade e do grau com que a anemia se desenvolveu;

·        de sua duração anterior, isto é, de sua cronicidade;

·        das necessidades metabólicas de cada paciente;

·        de quaisquer outros distúrbios que afetam atualmente o paciente, especialmente afecções cardíacas;

·        de complicações especiais  ou aspectos concomitantes da afecção que está produzindo a anemia.

Diagnóstico

·        Anamnese.

·        Exame físico.

·        Exame clínico.

·        Exames laboratoriais.

·        Exames complementares de sangue.

Tratamento

O tratamento específico da anemia depende do tipo de anemia que apresenta o paciente.  O tratamento é direcionado para reverter a causa e repor o sangue perdido.


Dúvidas de termos técnicos e expressões consulte o Glossário geral.