ANEMIA PERNICIOSA


Definição

A Anemia Perniciosa é um tipo de anemia devida à deficiência de vitamina B12, é causada pela falta de fator intrínseco no suco gástrico. A falta de vitamina B12  e do ácido  fólico no organismo acarreta determinadas alterações típicas: os glóbulos vermelhos apresentam-se com tamanho acima do normal, configurando-se  então, a Anemia megaloblástica.

 

A  vitamina B12, também produzida sob a forma sintética, é uma substância encontrada fartamente na natureza, sobretudo nos produtos de origem animal: fígado, rins, músculos, ovos, queijos e leite, entre outros. 

 

Essa vitamina também é sintetizada, em pequena  parcela, no aparelho digestivo, mediante a ação de bactérias intestinais. Já o  ácido fólico aparece em grande quantidade nos vegetais, sendo escasso nos produtos animais. Também ela interfere no amadurecimento dos glóbulos vermelhos e sua deficiência determina igualmente a Anemia megaloblástica. A deficiência de uma ou outra substância produz graves conseqüências no organismo.

Anemia megaloblástica:

Alteração na fisiologia

A anemia perniciosa é produzida por um defeito na mucosa gástrica: a parede do estômago se atrofia e deixa de secretar o fator intrínseco. Essa substância normalmente se une à vitamina B12 alimentar para se dirigir até o íleo, onde a vitamina é absorvida. Sem fator intrínseco, a vitamina B12 administrada oralmente não consegue penetrar no corpo.  

Portanto, depois que os depósitos de vitamina B12 se esgotam, o paciente começa a apresentar sinais de anemia. A vitamina B12 é o fator intrínseco necessário para a maturação das hemácias.

Sinais e sintomas

O quadro clínico em geral se estabelece de maneira insidiosa, quase sempre progressiva e ao mesmo tempo flutuante, com o paciente apresentando melhoras temporárias e espontâneas.

Sintomas devido à anemia:

Sintomas devidos às alterações fisiológicas no trato gastrintestinal:

Sintomas devidos às alterações neurológicas (ocorrem em uma alta percentagem de pacientes não tratados):

Diagnóstico

Obs: O Teste de Schilling tem como finalidade provar que o paciente não pode absorver a vitamina B12 oral, a menos que se acrescente o fator intrínseco.

Tratamento

Objetivo: Dar o fator antianêmico suficiente (vitamina B12 ) para produzir a remissão dos sintomas.

O tratamento da Anemia perniciosa é feito por injeções intramusculares ou subcutâneas de vitamina B12 (cianocobalamina) para o resto da vida. De início, as injeções serão diárias, porém depois a doença poderá ser controlada através de injeções tomadas de 6 a 8 vezes por ano. Como na ausência do fator intrínseco, cerca de 1% da vitamina B12 é absorvida por difusão, é possível tratar-se a anemia perniciosa com grandes doses de vitamina B12 por via oral. Este fato explica o sucesso de um antigo tratamento e que consistia em dar ao paciente grandes quantidades de fígado cru e cozido.

Tratamento durante a fase aguda:

Dietoterapia:  A disponibilidade e a eficácia da vitamina B12 dada oral e parenteralmente, faz com que o tratamento da anemia perniciosa, era sem atrativos e sem paladar; a terapêutica medicamentosa é simples e necessita relativamente uma administração flexível, de modo que não há razão para se tratar a doença somente com dieta. A dieta pode representar um ponto de apoio no tratamento da anemia perniciosa. Quando o organismo começa a regenerar os glóbulos vermelhos, em resposta à terapia com B12 necessitará de alimentos fontes de outros nutrientes exigidos pela eritropoiese. estes nutrientes abrangem as proteínas, o ferro, a vitamina C, o cobre e o ácido fólico.

A glossite é um sintoma de anemia perniciosa que causa uma língua lisa, vermelha e carnosa; a boca é dolorosa. A glossite reduz o desejo de comer. Uma dieta branda, com alimentos brandos ou uma dieta pastosa podem ajudar a manter o estado nutricional do indivíduo, até que estes sintomas respondam ao tratamento medicamentoso.

Obs:  A administração regular da medicação é indispensável. 

Complicações

Cuidados gerais


Dúvidas de termos técnicos e expressões, consulte o Glossário geral.