DOENÇAS OCUPACIONAIS


A Doença Profissional

A Doença Profissional ou Ocupacional é uma doença que o trabalhador adquire devido a exposição a fatores que podem ser químicos, físicos e biológicos, que agridem o organismo do trabalhador continuamente ou freqüentemente e por um longo tempo, no seu ambiente de trabalho.  Quando as condições de trabalho ultrapassam os limites toleráveis do organismo, a probabilidade de provocar uma doença no trabalhador é significativa.

Incidência

·         As doenças ocupacionais respondem por 1,7 milhões das mortes de trabalhadores, incluindo os tumores causados por exposição a substâncias perigosas e enfermidades respiratórias e transmissíveis.

·         A Asbestose mata cerca de cem mil pessoas por ano, segundo a Organização Internacional do Trabalho (OIT).

Prevenção

As doenças profissionais podem em muitos casos ser prevenidas. Utilizando-se os equipamentos de proteção  individual (EPI) de forma adequada, algumas das Doenças Profissionais podem ser evitadas.

Doenças ocupacionais do sistema respiratório relacionadas com o trabalho

Nessa relação destacam-se a doença ocupacional do sistema respiratório e os tipos de trabalho ou  fatores de risco  de natureza ocupacional:

Bronquiolite Obliterante Crônica, Enfisema Crônico Difuso, Fibrose Pulmonar Crônica: Afecções respiratórias crônicas devidas à inalação de gases, fumos, vapores e determinadas substâncias químicas:

·         Arsênico e seus compostos arsenicais.

·         Berílio e seus compostos.

·         Bromo.

·         Cádmio ou seus compostos.

·         Gás Cloro.

·         Flúor e seus compostos.

·         Solventes halogenados irritantes respiratórios.

·         Iodo.

·         Manganês e seus compostos tóxicos.

·         Cianeto de hidrogênio.

·         Ácido Sulfídrico (Sulfeto de hidrogênio).

·         Carbetos de metais duros.

·         Amônia.

·         Anidrido sulfuroso.

·         Névoas e aerossóis de ácidos minerais.

·         Acrilatos.

·         Selênio e seus compostos.  

 

Asbestose:

 

 

Asma ocupacional:

 

 

Beriliose:

 

 

Bissinose

 

 

Doença do enchedor de silo:

 

 

Pneumoconiose benigna:

 

 

Pulmão negro:

 

 

Silicose:

 

·         Mineiros que trabalham com chumbo, cobre, prata e ouro.

·         Determinados mineiros de carvão (ex: os peneiradores que trabalham imediatamente sobre os veios de carvão.

·         Operários de fundição.

·         Ceramistas e oleiros.

·         Cortadores de arenito ou de granito.

·         Operários que trabalham na construção de túneis.

·         Trabalhadores da indústria de sabões abrasivos.

·         Trabalhadores que utilizam jatos de areia.

 

Doenças do sistema respiratório  e os agentes etiológicos

Nessa relação destacam-se as doenças respiratórias,  e os seus possíveis agentes etiológicos ou fatores de risco  de natureza ocupacional:

Beriliose: Exposição ocupacional a poeiras de berílio e seus compostos tóxicos.

 

Bissinose, devidas a outras poeiras orgânicas especificadas: Exposição ocupacional a poeiras de algodão, linho, cânhamo e  sisal.

 

Bronquite e Pneumonite devida a produtos químicos, gases, fumaças e vapores ("Bronquite Química Aguda"):

Derrame pleural: Exposição ocupacional a poeiras de asbesto ou amianto.

Doenças Pulmonares Obstrutivas Crônicas:  Asma Obstrutiva; Bronquite Crônica; Bronquite Asmática e Bronquite Obstrutiva Crônica:

 

·         Cloro gasoso.

·         Exposição ocupacional à poeira de sílica livre.

·         Exposição ocupacional a poeiras de algodão, linho, cânhamo ou sisal.

·         Amônia.

·         Anidrido sulfuroso.

·         Névoas e aerossóis de ácidos minerais.

·         Exposição ocupacional a poeiras de carvão mineral.  

 

Enfisema intestinais: Cádmio ou seus compostos.

 

Estanhose: Exposição ocupacional a poeiras de estanho.

 

Faringite Aguda, não especificada ("Angina Aguda", "Dor de Garganta"):

 

Faringite crônica: Bromo.

Laringotraqueíte Aguda:

Laringotraqueíte Crônica:  Bromo.

 

Perfuração do Septo Nasal:

Placas Neurais: Exposição ocupacional a poeiras de Asbesto ou Amianto.

Pneumoconiose associada com Tuberculose ("Silico-Tuberculose"): Exposição ocupacional a poeiras de sílica-livre.

 

Pneumoconiose devida ao Asbesto (Asbestose) e a outras fibras minerais:  Exposição ocupacional a poeiras de asbesto ou amianto.

 

Pneumoconiose devida à poeira de Sílica (Silicose):  Exposição ocupacional a poeiras de sílica-livre.

 

Pneumoconiose devida a outras poeiras inorgânicas especificadas :

 

 Pneumoconiose dos Trabalhadores do Carvão:

 

Pneumonite por Hipersensibilidade a Poeira Orgânica: Pulmão do Granjeiro (ou Pulmão do Fazendeiro); Bagaçose; Pulmão dos Criadores de Pássaros; Suberose; Pulmão dos Trabalhadores de Malte; Pulmão dos que Trabalham com Cogumelos; Doença Pulmonar Devida a Sistemas de Ar Condicionado e de Umidificação do Ar; Pneumonites de Hipersensibilidade Devidas a Outras Poeiras Orgânicas; Pneumonite de Hipersensibilidade Devida a Poeira Orgânica não especificada (Alveolite Alérgica Extrínseca SOE; Pneumonite de Hipersensibilidade SOE:

·         Exposição ocupacional a poeiras contendo microorganismos e parasitas infecciosos vivos e seus produtos tóxicos.

·         Exposição ocupacional a outras poeiras orgânicas.

Pneumonite por Radiação (manifestação aguda)  e Fibrose Pulmonar Conseqüente a Radiação (manifestação crônica):  Radiações ionizantes.

Rinites Alérgicas:

·         Carbonetos metálicos de tungstênio sintetizados.

·         Cromo e seus compostos tóxicos.

·         Poeiras de algodão, linho, cânhamo ou sisal. 

·         Acrilatos.

·         Aldeído fórmico e seus polímeros.

·         Aminas aromáticas e seus derivados.

·         Anidrido ftálico.

·         Azodicarbonamida.

·         Carbetos de metais duros: cobalto e titânio.

·         Enzimas de origem animal, vegetal ou bacteriano.

·         Furfural e Álcoól Furfurílico.

·         Isocianatos orgânicos.

·         Níquel e seus compostos.

·         Pentóxido de vanádio.

·         Produtos da pirólise de plásticos, cloreto de vinila, teflon.

·         Sulfitos, bissulfitos e persulfatos.

·         Medicamentos: macrólidos; ranetidina ; penicilina e seus sais; cefalosporinas.

·         Proteínas animais em aerossóis.

·         Outras substâncias de origem vegetal (cereais, farinhas, serragem, etc.).

·         Outras substâncias químicas sensibilizantes da pele e das vias respiratórias.

 

Rinite crônica:

 

Siderose: Exposição ocupacional a poeiras de ferro.

Síndrome de Disfunção Reativa das Vias Aéreas (SDVA/RADS):

 

Sinusite crônica:

 

Transtornos respiratórios em outras doenças sistêmicas do tecido conjuntivo, classificadas em outra parte:  "Síndrome de Caplan":

 

 Ulceração ou Necrose do Septo Nasal:


Dúvidas de termos técnicos e expressões, consulte o Glossário geral.